Noite dos Vence-Dores

 

No Jantar da Academia “Noite dos Vence-Dores”, realizado no dia 29 de outubro de 2016, no salão social do Lions Clube, a Academia de Letras e Artes de Paranavaí fez a entrega solene da premiação aos vencedores do I Concurso ALAP “Paranavaí Literária” realizado em parceria com a CIHDOTT – Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante da Santa Casa de Paranavaí.

Foram inscritos 611 trabalhos nas categorias crônica, poema temático, microconto, haicai e terceto, analisados por duas comissões julgadoras, integradas pelas acadêmicas Alice Ohe, Gersonita Elpídio e Regina Maria Torrezan, e como convidados o escritor e poeta Jeferson Nunes, da Academia de Letras de Maringá, o escritor e poeta Goulart Gomes, de Salvador/BA, e Luiz Antonio Ricci de Almeida, médico plantonista da Santa Casa de Paranavaí.

A noite foi prestigiada por quase duas centenas de convidados, dentre os quais o prefeito Rogério Lorenzetti e esposa Cristina, o chefe do Núcleo da Secretaria do Trabalho, Valmir Trentini e esposa, o presidente do Lions Clube, Otelo Ferreira de Freitas, membros da CIHDOTT e funcionários da Santa Casa de Paranavaí, além dos acadêmicos e seus familiares.

A entrega dos troféus foi conduzida pelo mestre de cerimônias da Academia, o acadêmico Professor Flávio Brandão.

Para alegrar a “Noite dos Vence-Dores”, o acadêmico e maestro Júlio Gomez com suas belíssimas interpretações musicais.

OS TRABALHOS PREMIADOS

CRÔNICAS (5 melhores)

1º) SANGUE É POESIA CONCRETA, de Benedito Sobral (Sinop/MT)
2º) NINGUÉM POR NÓS, de Edih Longo (São Paulo/SP)
3º) ANTÔNIO, de Ana Luiza Tonietto Lovato (Porto Alegre/RS)
4º) COMPARTILHAMENTO ENTRE DOIS MUNDOS, de Danillo Mendes (Belém/PA)
5º) (SUPER)AÇÃO, de Nilton Silveira (Porto Alegre/RS)

MELHOR CRÔNICA REGIONAL

O GRANDE SONHO, de Miquéias Rodrigues de Oliveira (Terra Rica/PR)

POEMAS TEMÁTICOS (5 melhores)

1º) VONTADE PÓSTUMA, de José Alberto Carvalho da Silva (Manaus/AM)
2º) ETERNIZEM-ME!, de Cláudia Santos (Curitiba/PR)
3º) BIOMANIFESTO, de Eduardo F. F. de Abreu (Cachoeiras de Macacu/RJ)
4º) ANTÔNIMOS DA VIDA, de Daniely Araujo (Corguinho/MS)
5º) UM ÓRGÃO DOADO, de Arai Santos (Campo Largo/PR)

MELHOR POEMA TEMÁTICO REGIONAL

PALAVRAS DE UM CORAÇÃO, de Maria Eduarda Tavares Faria (Terra Rica/PR)

MICROCONTOS (5 melhores)

1º) O SALTO, de Paulo Tórtora (Rio de Janeiro/RJ)
2º) ÓSCULO, de Augusto V. Schmitt (Porto Alegre/RS)
3º) CATEDRAL, de Orivaldo Grandizoli (São José do Rio Preto/SP)
4º) MULTIPLICAÇÃO, de André Luís Soares (Vila Velha/ES)
5º) “Olhou para o caixão do tio…”, de Jeferson Douglas Bicudo (Paranavaí/PR)

MELHOR MICROCONTO REGIONAL

DOAÇÃO, de Mateus Muniz de Oliveira (Terra Rica/PR)

HAICAIS (5 melhores)

1º) “Casulo morto”, de S S Rocha (Campo Largo/PR)
2º) “Riscos prateados”, de Mauro Martiniano de Oliveira (São Paulo/SP)
3º) “Retrato de fé”, de A. Gianello (Martinópolis/SP)
4º) “Na piracema”, de Rudinei Antonio Massaia (Santa Maria/RS)
5º) “Minguante de outono”, de Eduardo Laurent (Porto Alegre/RS)

MELHOR HAICAI REGIONAL

“Noite pelo campo”, de Valdeci Alves de Almeida (Cruzeiro do Sul/PR)

TERCETOS (5 melhores)

1º) FARDO, de Paulo Tórtora (Rio de Janeiro/RJ)
2º) SILÊNCIO, de André Kondo (Jundiaí/SP)
3º) “Findei no inverno!”, de S S Rocha (Campo Largo/PR)
4º) GUARDADO, de Sérgio Bernardo (Nova Friburgo/RJ)
5º) INFÂNCIA, de Flavio Machado (Cabo Frio/RJ)

MELHOR TERCETO REGIONAL

“Três cruzes no calvário”, de Jeferson Douglas Bicudo (Paranavaí/PR)

MENÇÃO HONROSA

Conforme previsto no item 9.1 do regulamento, a Academia de Letras e Artes de Paranavaí busca viabilizar a publicação de antologia do I Concurso ALAP “Paranavaí Literária”, em prol das atividades da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) da Santa Casa de Paranavaí.

Farão parte da antologia, se publicada, os trabalhos enviados pelos autores abaixo, merecedores de menção honrosa por terem recebido notas de, ao menos, dois dos jurados:

Crônicas:

A mudança, de Gregório José Lourenço Simão, de Muriaé/MG
A regra de ouro, de Giordana Maria Bonifácio Medeiros, de Brasília/DF
Adoção… doação… desdobramentos, de Evandro Valentim de Melo, de Brasília/DF
Coração de mãe, de Vivianne Lopes, de Rio de Janeiro/RJ
Da doação à aflição, de Regina Ruth Rincon Caires, de Campinas/SP
Despedidas, de Luiz Henrique Barretto, de São Paulo/SP
Doação de órgãos e tecidos, de Carolina Munhoz Bastos, de São Paulo/SP
Dois de maio de 2006, de Perpétua Conceição da Cunha Amorim, de Franca/SP
Elegia para Therezinha, de Maria Apparecida S. Coquemala, de Itararé/SP
Futuro impessoal, de Alexandre Leidens, de Francisco Beltrão/PR
Hológrafo do que a terra não há de comer tão cedo, de Geraldo Trombin, de Americana/SP
Jardins, de Marcia Angelo dos Santos, de Paranavaí/PR
João e Marília, de Maria Alzira de Souza Santos, de São Paulo/SP
O testamento, de Kítylla Gevezier Paredes, de Nova Friburgo/RJ
Os olhos de minha mãe, de Ana Luíza Casasanta Garcia, de Uberlândia/MG
Pedido de devolução, de Marília Beatriz Barga, de Santo André/SP
Quando a estrela de Belém surgir…, de José Ronaldo Siqueira Mendes, de Mutum/MG
Quando a morte não é o fim, de Caroline das Chagas Seixas, de Manaus/AM
Sejamos todos doadores de órgãos, de Matusalém Dias de Moura, de Vitória/ES
Sensação, de Fernanda Nuzzo Pinheiro Leal, de São Paulo/SP
Visão microscópica, de Edileuza Bezerra de Lima Longo, de São Paulo/SP

Haicais:

“A janela aberta”, de Carmen Cardoso Garcia, de São Paulo/SP
“Aprendemos ser…”, de Aparecida Donisete Massarenti Hosoya, de São Paulo/SP
“Ave quixotesca”, de Thiago Oliveira de Carvalho, de Rio de Janeiro/RJ
“Borboleta voa”, de Cassio José Rodrigues Pereira, de Campo Grande/MS
“Cereja rubra”, de Francismar Prestes Leal, de Maringá/PR
“Cerejeiras secas”, de Sérgio Correa Miranda Filho, de Nova Friburgo/RJ
“Chuvinha de inverno”, de Geraldo Trombin, de Americana/SP
“Como se fosse pólen”, de André Luís Soares, de Vila Velha/ES
“E por doar-se assim”, de André Luís Soares, de Vila Velha/ES
“Estrelas no céu”, de Darío Alejandro Poyanco Bravo, de Belo Horizonte/MG
“Folhas que caem”, de Gisela Lopes Peçanha, de Niterói/RJ
“Imóvel no fio…”, de Matusalém Dias de Moura, de Vitória/ES
“Momento haicai”, de Geraldo Trombin, de Americana/SP
“O velho pinheiro”, de Sérgio Correa Miranda Filho, de Nova Friburgo/RJ
“Se outono for”, de Gabriel Araújo de Aguiar, de Brasília/DF
“Ss lagos sussurram…”, de Manoel Flor dos Santos, de Santo Anastácio/SP
“Sombras alongadas…”, de Paulo Cezar Tórtora, de Rio de Janeiro/RJ
“Vapor da manhã”, de Marcus Sacrini A. Ferraz, de Socorro/SP
Menino de rua, de Mauro Martiniano de Oliveira, de São Paulo/SP

Microcontos:

“Capacidade cognitiva intacta…”, de Antonio Guedes Alcoforado, de Teresina/PI
“Durante anos monitorizou seu coração…”, de Marcia Angelo dos Santos, de Paranavaí/PR
“Era uma vez uma casinha cheia de vazios…”, de Paulo Emílio Azevedo, de Macaé/RJ
“Seus amores nunca eram em vão”, de Márcia Bastian Falkenbach, de Caxias do Sul/RS
“Tudo ficou claro”, de Claudemir Savi, de São Paulo/SP
20 de outubro, de Maria das Dores Oliveira, de Ipatinga/MG
Anúncio, de Francismar Prestes Leal, de Maringá/PR
As penas de Maria, de Lizziane Negromonte Azevedo, de Monteiro/PB
Autocídio, de Matheus Cardoso de Lima, de São Bernardo do Campo/SP
Canudos, de Journey Pereira dos Santos, de Cruz das Almas/BA
Contrata-se adestrador, de Augusto Valentini Schmitt, de Porto Alegre/RS
Da arte de flutuar, de Caio Matheus Teixeira Brito, de Belém/PA
Fim de jogo, de Edweine Loureiro da Silva, de Manaus/AM
Guia, de Joyce R. Mesquita, de Duque de Caxias/RJ
Instantâneas sobre ele, de Heitor Gomes de Andrade, de São Paulo/SP
Laço, de Sérgio Correa Miranda Filho, de Nova Friburgo/RJ
Noiva, de Itamar Rangel Vieira Junior, de Salvador/BA
O peixe e o pescador, de Leonardo Siviotti de Alcantara, de Maricá/RJ
Queda, de Sofia Rezende Del-Ducca, de Paranavaí/PR
Saudade, de Sofia Rezende Del-Ducca, de Paranavaí/PR
Sorte, de Darío Alejandro Poyanco Bravo, de Belo Horizonte/MG

Poemas temáticos:

“Fiz duelo com a doença…”, de Sibelita Pinheiro, de Maringá/PR
“Quando da terra eu me for…”, de Nei Garcez, de Curitiba/PR
A esperança de existir, de Evandro dos Santos Rocha, de Duque de Caxias/RJ
Ainda é preciso, de Tiago Alves de Santana, de Cianorte/PR
Clarices, de Augusto Valentini Schmitt, de Porto Alegre/RS
confissões de um sobrevivente, de Daniely Rodrigues Araujo, de Corguinho/MS
Doando órgãos e poesia, de Silvia Regina Costa Lima, de Vinhedo/SP
Doando vida, de Raquel de Sena Rodrigues Tersi, de Campinas/SP
Doar é gesto divino, de Olímpio Coelho de Araujo, de São Vicente/SP
Doar um pedaço de si é salvar vidas, de Márcio Alessandro de Melo, de Cupira/PE
Doar-se, de André Luís Soares, de Vila Velha/ES
Doe pra não doer, de Renata Cristina Alves, de Tabatinga/SP
Doe seu coração: lição de poeta!, de Rodrigo Petit, de Sorocaba/SP
Esperança que nasce na despedida, de Rita de Cassia Batista, de Marataízes/ES
Joias preciosas, de Maria das Graças Fonseca Rocha, de Fortaleza/CE
Legado, de Antônio de Pádua Elias de Sousa, de Formiga/MG
Minha casa, de Cassio José Rodrigues Pereira, de Campo Grande/MS
O vermelho que te quero, de Fernanda Claudia Araujo da Silva, de Fortaleza/CE
Ode ao doador, de Alessandra Costa de Almeida, de Osasco/SP
Olhar enigmático, de Fábio Kawati, de Sinop/MT
Permaneça, de Marianne Helen Santos Silva, de Contagem/MG
Perpetue sua espécie, de Thamires Queiroga de Macedo, de Goiânia/GO
Transplanta, de Francismar Prestes Leal, de Maringá/PR
Um ato nobre, de Newton de Souza Nazareth, de Rio de Janeiro/RJ
Vida doada, de Carlos Carvalho Cavalheiro, de Sorocaba/SP
Vivo, de Robinson Silva Alves, de Coaraci/BA

Tercetos:

“Olhando pela janela…”, de Gabriel Rates de Queiroz, de Campinas/SP
A praça, de Flavio Alves Costa, de São Paulo/SP
Amanhecer, de Valdeci Alves de Almeida, de Cruzeiro do Sul/PR
Amor fatal, de André Telucazu Kondo, de Jundiaí/SP
Amplidão, de André Luís Soares, de Vila Velha/ES
Fábula, de Paulo Cezar Tórtora, de Rio de Janeiro/RJ
Girafa, de Gabriel Araújo de Aguiar, de Brasília/DF
Noite de superlua, de Maria das Dores Oliveira, de Ipatinga/MG
O pequeno poema da eternidade, de Journey Pereira dos Santos, de Cruz das Almas/BA
O riso do gato de Alice, de Flavio Rubens Machado de Queiroz, de Cabo Frio/RJ
Ovo, de Adriana Cristina Razia, de Quatro Barras/PR
Poeminha para Drummond, de Matusalém Dias de Moura, de Vitória/ES
Scarface, de Marcos Antonio Campos, de Natal/RN
Teia, de Geraldo Trombin, de Americana/SP
Traumatologia, de Weslley Moreira de Almeida, de Feira de Santana/BA
Versos na areia, de A. Gianello, de Martinópolis/SP

Nota: Os trabalhos sem título estão identificados pelo primeiro verso ou parte dele, entre aspas.

Veja abaixo a galeria de imagens do Jantar da Academia “Noite dos Vence-Dores”, com fotos do fotógrafo Nivaldo Santos.

Esta entrada foi publicada em Academia, Concurso e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.