Resultado do III Concursos ALAP “Paranavaí Literária”

Em sessão solene realizada nesta quinta-feira, 10 de outubro, a Academia de Letras e Artes de Paranavaí fez a apresentação dos trabalhos selecionados no III Concurso ALAP “Paranavaí Literária”.

A sessão destinou-se também a celebrar o Dia Nacional de Luta Contra a Violência à Mulher, e teve como palco o auditório do Centro de Juventude.

Em breve estaremos divulgando imagens do evento e informações desse importante momento.

Durante a sessão, realizou-se a leitura dos melhores trabalhos selecionados em cada categoria, que estarão sendo premiados com troféus no próximo dia 31 de outubro, Dia Nacional da Poesia. Aos que não puderem comparecer, os troféus serão encaminhados por remessa postal. Os demais trabalhos receberão os certificados por meio digital e, na sequência, serão encaminhados os originais impressos e assinados.

A seleção dos trabalhos foi realizada pela Comissão Julgadora formada pelas seguintes integrantes, a quem rendemos nossos agradecimentos e homenagens:

GERSONITA ELPÍDIO DOS SANTOS, graduada e especialista em Letras, professora da Unespar – Universidade do Estado do Paraná, membro fundadora da Academia de Letras e Artes de Paranavaí, ocupante da cadeira nº 7 (patrono Mário Quintana).

ALICE MASSAKO OHE, graduada e especialista em Letras, professora da Unespar – Universidade do Estado do Paraná, membro fundadora da Academia de Letras e Artes de Paranavaí, ocupante da cadeira nº 14 (patrono Carlos Drummond de Andrade).

LAURA MARIA ANDRADE DA SILVA, nascida em Paranavaí, graduada em Letras e especialista em Linguística e Análise de Texto, foi professora nas disciplinas de Literatura, Língua Portuguesa e Língua Francesa, no colégio Estadual de Paranavaí, e atuou como Coordenadora de Língua Portuguesa no Núcleo Regional de Paranavaí.

SÔNIA COSTA BRUM, graduada em Pedagogia e pós-graduada em Recursos Humanos para a Educação Infantil, professora da rede municipal de Paranavaí, atua como Supervisora Pedagógica da Alfabetização na Secretaria Municipal de Educação e atualmente cursa pós-graduação em Avaliação Neuropsicopedagógica e, também, Intervenção Neuropsicopedagógica na linguagem, leitura e escrita. É membro titular do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e atuou ou atua como membro de diversos outros organismos, a exemplo do Conselho Municipal de Educação de Paranavaí, do Conselho Municipal do Magistério, do Conselho Municipal de Alimentação Escolar e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

DANIELLA STELLA SBRUSSI, psicopedagoga, graduada em Pedagogia pela Unespar, pós-graduada em Psicopedagoga pela Universidade Estadual de Londrina e em Metodologia da Educação Infantil pela Unespar, mestre em Gestão de Pessoas pela Universidade Estadual Maringá, atualmente atua como Diretora do Centro da Juventude de Paranavaí e como professora no Curso de Teologia da Igreja Batista Renovada.

TRABALHOS SELECIONADOS:

Os trabalhos sem título são apresentados pela transcrição do primeiro verso ou o trecho inicial do texto, entre aspas.

CRÔNICAS

Troféu “coruja” (primeiro lugar):

Teto e pingado, de Maria Carolina Fernandes, da cidade de Pouso Alegre/MG

Certificado (com avaliação igual ou acima da nota mínima):

Artigo definido (de uma dor indefinida), de Raphael Linhares, da cidade de Rio de Janeiro/RJ

Onde a lei não alcança, de Lourença Lou, da cidade de Sete Lagoas/MG

Homens têm espaço no feminismo?, de Thaís Arnoud, da cidade de Porto Alegre/RS

Quem bate à porta?, de Coracy Bessa, da cidade de Salvador/BA

Incapaz, de Marccelo Pereyra, da cidade de Belo Horizonte/MG

Espelho, de Bárbarah Cléo, da cidade de Brasília/DF

Violência gratuita, de Deise Oliveira S, da cidade de Cabo Frio/RJ

Libertação imperdoável, de Ivy Menon, da cidade de Rio Negro/PR

O silêncio dos inocentes, de Edweine Loureiro, residente em Saitama, Japão

Percepções e catarse, de Evandro Valentim de Melo, da cidade de Brasília/DF

Família tradicional brasileira, de Guilherme Souto Sanchez, da cidade de São Paulo/SP

Em novembro sempre chove, de Viviane Santyago, da cidade de Ferraz de Vasconcelos/SP

MELHOR CRÔNICA REGIONAL

Pétalas ensanguentadas, de Jeferson Douglas Bicudo, da cidade de Paranavaí/PR

POEMAS TEMÁTICOS

Troféu “coruja” (primeiro lugar):

Reinvenção da Amélia, de Yndiara Macedo, da cidade de Itibaia/SP

Certificado (com avaliação igual ou acima da nota mínima):

É o que acontece enquanto eu escrevo este poema, de Laura Gonçalves Ferreira, da cidade de Vespasiano/MG

Sem aviso, de Deise Oliveira S, da cidade de Cabo Frio/RJ

Voz que não cala, de Ana Neves, da cidade de Paulista/PE

A mulher agredida, de Val Ribeiro, da cidade de Itajubá/MG

Maria da Penha, de Ricardo Mainieri, da cidade de Porto Alegre/RS

Náufraga, de Sofia Alvesan, da cidade de Rio do Sul/SC

Bode expiatório, de Arzírio Cardoso, da cidade de Campo Largo/PR

Filme em preto e branco, de Edih Longo, da cidade de São Paulo/SP

Castelo de areia, de Rhosana Dalle, da cidade de Pindamonhangaba/SP

Gramatical, de Lilly Araújo, da cidade de Anápolis/GO

Feminicídio, de Julio Corrêa, da cidade de Rio de Janeiro/RJ

MELHOR POEMA TEMÁTICO REGIONAL

Protesto (abrir mão do passado), de Jeferson Douglas Bicudo, da cidade de Paranavaí/PR

MICROCONTO

Troféu “coruja” (primeiro lugar):

Silêncio, de Márcia Lupia, da cidade de São Paulo/SP

Certificado (com avaliação igual ou acima da nota mínima):

Ele não me bateu, de Luzitânia Silva, da cidade de Presidente Tancredo Neves/BA

Sopro, de Estevan Martins, da cidade de São Paulo/SP

Semântica, de Josué da Silva Brito, da cidade de Paracatu/MG

Sem mágoas, de Vicente de Melo, da cidade de Brasília/DF

Do de-comer, de Paulo Luís Ferreira, da cidade de São Bernardo do Campo/SP

“Em seu consultório frio…”, de Lucas Pires, da cidade de Brazlância/DF

Gaiola, de Ana Carolina Machado, da cidade de Belém/PA

Ninguém merece, de Aldenor Pimentel, da cidade de Boa Vista/RR

Flagrante, de Maurício Cavalheiro, da cidade de Pindamonhangaba/SP

Velhice, de Edih Longo, da cidade de São Paulo/SP

Copo, de Monize Luiz Santos, da cidade de José Bonifácio/SP

MELHOR MICROCONTO REGIONAL

Horário, de Mariana Agnes de Oliveira Silva, da cidade de Paranavaí/PR

HAICAIS

Troféu “coruja” (primeiro lugar):

“O sol escaldante”, de Oly Cesar Wolf, da cidade de Campo Largo/PR

Certificado (com avaliação igual ou acima da nota mínima):

“Explode o casulo”, de Jerson Brito, da cidade de Porto Velho/RO

“Nevoeiro baixo”, de Milton Carlos de O Rezer, da cidade de Uruguaiana/RS

“Um canto dolente”, de Fernando Bueno, da cidade de Belo Horizonte/MG

“A lua se enrosca”, de Maurício Cavalheiro, da cidade de Pindamonhangaba/SP

“Liberada a pesca”, de Marcos Antonio Campos, da cidade de Natal/RN

“No lar, tanta dor”, de Eduardo Sussumo, da cidade de Franca/SP

“Antes, primavera”, de Bárbarah Cléo, da cidade de Brasília/DF

“Do sol ao luar”, de Luiza Moura, da cidade de Feira de Santana/BA

MELHOR CRÔNICA REGIONAL

“Folha verde fim”, de Mariana Agnes de Oliveira Silva, da cidade de Paranavaí/PR